Abraçar oportunidades de desenvolvimento pessoal

09-10-2020

por Isabel Eusébio

A noção tradicional de orientação vocacional, enquanto intervenção limitada ao contexto educativo e a uma pequena faixa etária, foi dando progressivamente lugar a uma perspectiva cada vez mais ampla de apoio psicológico ao longo da vida, sob a forma de aconselhamento de Carreira.

O conceito de Carreira, de per si, viabiliza um olhar mais abrangente e em continuidade, sobre o percurso vivencial do individuo como um todo, em que a sua experiencia de ser pessoal e profissional, é concebida como o resultado de um processo activo e permanente de construção da sua própria narrativa de vida .

É neste sentido que períodos de transição na carreira como a integração académica, o acesso ao mercado de trabalho, a mudança de emprego ou a preparação para a reforma, ganham especial relevância. O desenvolvimento de carreira enquanto processo de crescimento individual, envolve períodos sucessivos de assimilação e de adaptação a novas realidades, susceptíveis de originar alterações subjectivas nos estados emocionais do sujeito e requerer estratégias de auto-regulação adequadas.

Por outro lado, a ocorrência de uma situação não normativa do ciclo de vida do sujeito ou da família - ameaça de doença grave, acidente, divorcio, despedimento, burnout, (etc.), pode tornar-se demasiado exigente face aos recursos pessoais e capacidade de resiliência do individuo e interferir no seu estado de saúde, nas suas competências relacionais, no seu potencial de desenvolvimento ou in extremis, obrigar a uma mudança de carreira.

Nesta perspectiva, o aconselhamento de carreira, o coaching psicológico e a psicoterapia, embora distintos na sua essência, são processos complementares e podem decorrer em ambiente interpessoal seguro, tendo em vista o bem estar e desenvolvimento pessoal do cliente, em todas as suas vertentes e contextos vivenciais.